Busca no Site
 
Página Inicial Agenda de Eventos Pedido de Oração Webmail Contato
Institucional
Cursinho - Renovação
Grupos de Oração
Agenda de Eventos
Galeria de Eventos dos Grupos
Galeria de Fotos
Galeria de Áudio
Galeria de Vídeo
Formação
Artigos Dom Anuar
Mensagem do Dia
Link's Úteis
Downloads
Webmail
Contato
ASSESSOR ECLESIÁSTICO
CENTRO DIA JOÃO PAULO II
COMUNICAÇÃO SOCIAL
COORDENADOR DIOCESANO
CRIANÇAS
CURA E LIBERTAÇÃO
CURSO PRÉ-VESTIBULAR
FAMÍLIAS
FÉ E POLÍTICA
FORMAÇÃO
INTERCESSÃO
JOVEM
LITURGIA
MECE
MÚSICA E ARTES
PREGAÇÃO
PROMOÇÃO HUMANA
SEMEADORES
UNIVERSIDADES RENOVADAS
MENSAGEM DO DIA - 08/12/2017
A VONTADE DIVINA DE ENCONTRAR-SE COM O SER HUMANO DEVE CORRESPONDER À VONTADE HUMANA DE ENCONTRAR-SE COM DEUS

Pe Leomar Antônio Montagna
Paróquia Santo Expedito - Maringá
Clique para ampliar a foto
Grupos de Oração: 

JACS

Domingo, Paróquia Santo Expedito, 20h00.


Reflexo

Terça-Feira, Paróquia Santo Expedito, 20h00.


Santo Expedito

Domingo, Capela São Jerônimo, 20h00.


 

Na Liturgia deste Domingo, II do Tempo do Advento, veremos, na 1a Leitura (Is 40,1-5.9-11), o anúncio festivo do retorno, já próximo, do povo da Babilônia para Jerusalém. O Profeta Isaías anuncia que terminou o tempo da escravidão e, com o perdão de Deus, todos devem começar uma nova vida. Isaías garante a fidelidade de Deus e a vontade divina de conduzir o povo para a liberdade e a paz. Pensemos, também nós, se hoje não estamos no ‘exílio’, isto é, longe de Deus. Busquemos a reconciliação, o arrependimento, a conversão, intensifiquemos momentos de oração, participando da Novena de Natal, praticando gestos de solidariedade. Enfim, façamos a experiência da misericórdia, pois Deus é o resgatador da vida ameaçada, cuidador das pessoas enfraquecidas. Ele nos quer falar e consolar o coração: “os levarei ao deserto, e lhes falarei ao coração” (cf. Os 2,14).

 

Na 2ª Leitura (2Pd 3, 8-14), o Apóstolo Pedro nos fala que Deus aguarda com paciência nossa conversão, de modo que possam realizar-se suas promessas de salvação. O texto não fala de fim do mundo, mas de uma transformação em “novos céus e nova terra”, da humanidade renovada, na qual se realizará nova ordem com justiça. A questão levantada aqui é se Deus está demorando, ou se sua presença tem que ser percebida em nosso comportamento? O cristão pode apressar a vinda de Cristo Glorioso: “Quando Cristo, vossa vida, aparecer, então também vós aparecereis com ele” (Cl 3, 4). O maior milagre que Deus faz por nós é nos dar a capacidade de mudar: “cair em si” (Lc 15, 17).

 

No Evangelho (Mc 1, 1-8), Marcos dá início ao seu Evangelho, apresentando-nos o Profeta João Batista, precursor de Jesus, que nos convida à conversão e que nos aponta o caminho para acolher o Messias Libertador. Neste texto, devemos considerar alguns pontos como chaves de leitura:

1º - Qual é o papel do Profeta, isto é, qual é o papel do pai, da mãe, de um líder, enfim, de um educador evangelizador: ser seta, apontar Jesus, pregar a conversão – “Convertei-vos porque o Reino de Deus está próximo” (Mc 1, 15).

2º - O cristão deve apresentar ideais, projetos que levem à plenitude da vida, serenidade, harmonia. “Produzi frutos que provem a vossa conversão” (Mt 3,1).

3º - O líder tem consciência das dificuldades, consciência de ser uma “voz que grita no deserto”. Deserto é o lugar de provação, de purificação, meio, não fim. Implica formas diferentes de viver. É o lugar onde Deus educa seu povo com sinais. Deserto, hoje, é a Igreja, são as lideranças, são os cristãos que gritam, convocam e organizam o povo para fazer uma nova história. Para acolher os apelos de Deus, há que se despojar da mentalidade do pecado: “Se vocês não mudarem o vosso modo de pensar e agir vão todos perecer” (Lc 13,3).

Devemos ver, em João Batista, a própria Igreja, quando aponta os caminhos que precisamos endireitar em nós, na família, na sociedade e no mundo. O Batista nos ensina a ver as causas, o porquê alguém não anda na retidão, a não julgar somente pelas aparências. Ele denuncia: “Raça de víboras, produzi frutos”. João, isto é, a Igreja, vai ao encontro das pessoas para tirá-las do vazio em que se encontram pela falta de fé. Faz algumas interrogações: Quais coisas não andam direito? Por quê? Quais caminhos tortuosos estamos seguindo?

4º - Quem acolhe a voz de João Batista (Igreja)? Os descontentes consigo mesmos, com a sociedade, os que lutam, os que querem mudança, transformação: “Vinham... confessavam... eram batizados...”.

5º - Quem não acolhe? Os mantenedores da cultura da morte: “Raça de víboras, produzi frutos que provem a vossa conversão, vossa solidariedade e vosso serviço...”.

6º - Acolher Jesus é dar novo rumo às nossas vidas, traçar novos caminhos, “tomar a cruz e segui-lo”.

Deus vem a nós por meio de Jesus, para nos dar coragem e ânimo. Em Jesus, há um futuro melhor, há conserto, por maiores que sejam as tragédias, dificuldades e sofrimentos. Há esperança. Ele nos dá a garantia da vitória, mesmo se o placar do ‘jogo da vida’ nos for desfavorável, na fé, ao final, a vitória nos é assegurada. “Nele nós somos mais que vencedores”.

Neste advento, preparemo-nos para a chegada vitoriosa do Senhor. O Advento deve ser um tempo de grande preparação espiritual. A partir do Natal, Deus é revelado em Jesus: “Quem me vê, vê o Pai!” “Eu e o Pai somos um!” Natal é a esperança que se renova. “O povo que vivia nas trevas viu uma grande luz; e uma luz brilhou para os que viviam na região escura da morte”. Ou ainda: “O tempo já se cumpriu, e o Reino de Deus está próximo, convertei-vos e crede no evangelho”.

Se, de fato, o ‘Verbo’ se tornar carne em nós, nós não iremos preparar somente a cidade, o externo, mas o coração para a visita ilustre que vem nos trazer benefícios: a salvação. Que imagem e ambiente comunicaremos? Que impressão Ele terá de nós?

Preparemos o coração ouvindo a Palavra, rezando individualmente, nos grupos, na comunidade.  A Palavra de Deus é a força para vencer o inimigo. “Um inimigo pode estar escondido em nossos aposentos”.

Preparamos o coração agindo, ajudando as pessoas: “Vocês não sabem que são templos de Deus e que o Espírito Santo de Deus habita em vocês?” Se alguém entrasse em nossos templos e violasse o Sacrário (sagrado), qual seria nossa reação? E o sofrimento das pessoas, não nos diz nada? O Concílio Vaticano II, no documento sobre a Igreja no mundo de hoje, nos diz: “As alegrias e as esperanças, as tristezas e as angústias dos homens de hoje, sobretudo dos pobres e de todos os que sofrem, são também as alegrias e as esperanças, as tristezas e as angústias dos discípulos de Cristo” (GS, 1).

 

Boa reflexão e que possamos produzir muitos frutos para o Reino de Deus.

 

Pe. Leomar Antonio Montagna

 

 

 | OUTRAS MENSAGENS | »    17/12/2017 - O amor de Deus transformou o mundo... »    10/12/2017 - Nossa solidariedade ao povo de Pinhão ... »    08/12/2017 - A VONTADE DIVINA DE ENCONTRAR-SE COM O SER HUMANO DEVE CORRESPONDER À VONTA... »    11/11/2017 - A VINDA DO SENHOR NOS SINAIS DOS TEMPOS: COLHEREMOS O QUE PLANTAMOS... »    04/11/2017 - NADA E NINGUÉM PODEM SUBSTITUIR O PRÓPRIO DEUS... »    21/10/2017 - O ALTAR DO LEIGO: TRANSFORMAR AS REALIDADES TEMPORAIS... | TODAS AS MENSAGENS | 
 
Facebook

RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA - ARQUIDIOCESE DE MARINGÁ

Rua Topázio, 732 - Jardim Real

Maringá - Paraná

Fone: (44) 3026-8811

E- mail: rccmaringa@gmail.com